O EuConcordo.com foi citado pela Revista Superinteressante ;)

Um abaixo-assinado virtual tem o mesmo efeito dos de papel e caneta? Leia a resposta na Revista Superinteressante  

ABAIXO-ASSINADO CONTRA A TRANSFERÊNCIA DE CARLOS EDUARDO SUNDFELD NUNES, O ASSASSINO DE GLAUCO E RAONI VILAS BOAS


Ao Ministério Público e a toda sociedade brasileira,



Nós, da Igreja Céu de Maria, da linha do Santo Daime, e amigos, simpatizantes e familiares de Glauco Vilas Boas e de seu filho Raoni Ornellas Vilas Boas, vimos manifestar nosso protesto contra a transferência de Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, o Cadu, assassino confesso de Glauco Vilas Boas e de seu filho Raoni em 12 março de 2010, para a casa de sua família.

NÓS NÃO PODEMOS ACEITAR ESSA INJUSTIÇA!

A sentença de condenação do assassino foi de reclusão por três anos em hospital psiquiátrico, no caso, o manicômio judiciário. Mas ele permaneceu sob esse regime por menos de um ano e meio.
Realmente é revoltante a maioria das decisões que vemos serem tomadas pela Justiça no Brasil. Certamente o juiz que permitiu essa transferência em nada se sensibilizou com o sofrimento e a tragédia vivida pela família de Glauco, assim como por membros da sua igreja, amigos, crianças da comunidade e por toda a sociedade que verdadeiramente o admirava como líder espiritual, artista e figura pública.
Pedimos Justiça e que se faça cumprir o que foi determinado pela lei que seria a a reclusão desse assassino, que matou Glauco e Raoni premeditadamente, por no mínimo três anos, seguida da necessidade de se apresentar um novo laudo que avalie suas condições psicológicas, visto que no processo foi constatado e aceito pela Justiça o diagnóstico de Cadu ser esquizofrênico. Por esse motivo, sua transferência para casa ecoa como se as vidas do Glauco e do Raoni não valessem nada.
Segundo a decisão divulgada pela imprensa, existe a possibilidade de logo o assassino confesso estar em casa aos cuidados da família. Perguntamos: como isso poderá ocorrer, se a família já não cuidou dele antes, permitindo que a doença de seu filho evoluísse a ponto de ele matar duas pessoas de bem?
Quando tudo aconteceu, já havia dois anos que Cadu não frequentava o Céu de Maria. Ele foi à Igreja nas comemorações do ano novo porque, segundo seu próprio depoimento, já estava planejando sequestrar o Glauco, o que prova que Cadu agiu premeditadamente. Além disso, roubou um carro, tentou fugir para o Paraguai, resistiu à prisão e atirou contra homens da Polícia Federal no Paraná, cometendo mais crimes além das mortes.
Diante desses fatos, nós, integrantes do Céu de Maria, amigos e simpatizantes de Glauco e Raoni, nos perguntamos se uma pessoa dessas pode, de fato, ser assistida por sua família. Uma família, aliás, que já apresenta antecedentes de esquizofrenia entre seus membros, e que não teve capacidade de cuidar de Cadu enquanto ele desenvolvia sua doença.
Também demonstramos a nossa indignação pelo não cumprimento da decisão do juiz, de reclusão de três anos, e externamos a nossa profunda (e realista) preocupação com a segurança dos membros da família de Glauco, bem como dos frequentadores da igreja Céu de Maria, que Glauco comandava. Com esse assassino à solta, quem garante que ele não poderá voltar ao local do crime e colocar a vida de outras pessoa em risco?
Além do que, essa liberação de Cadu pode abrir um perigoso precedente, na medida em que outros criminosos de alta periculosidade considerados inimputáveis sejam igualmente libertados para serem “tratados” em casa, bem como incentivar a prática de novos crimes. A sanção existe justamente para inibir a prática de crimes e garantir a paz e a preservação da segurança da sociedade. Se essa punição deixa de existir, prevalecem o caos e a insegurança. Diante disso, é importante que a Justiça avalie esse fato não somente como um caso isolado, mas como a abertura de uma brecha que pode ser usada pela defesa de outros criminosos em todo o país.
Pedimos que o Ministério Público e demais órgãos competentes analisem com profundidade a questão e determinem que seja observada na íntegra a sentença proferida, única forma de garantir a observância da lei e a aplicação da verdadeira justiça.

Atenciosamente,

Família de Glauco e Raoni Vilas Boas e Irmandade do Céu de Maria

Convidamos todos os interessados em honrar a memória de Glauco e Raoni e, principalmente em fazer com que o nosso país caminhe cada vez mais em direção da Justiça do “J”maiúsculo, a assinarem este abaixo-assinado. Gratos.

ASSINEM E COMPARTILHEM PARA O MAIOR NÚMERO DE PESSOAS POSSÍVEL!

DIGAM NÃO À IMPUNIDADE!


Assinado, Família de Glauco e Raoni Vilas Boas e Irmandade do Céu de Maria


Faça uma doação HOJE!


Se cada pessoa que acessa o EuConcordo.com doasse apenas R$ 2,00, nós não precisaríamos fazer este apelo.

O EuConcordo.com é mantido gratuitamente, mas os custos existem. Pedimos que todos façam sua parte e mantenha esta causa VIVA.

Meta do mês

Comentários não funcionam como assinatura, mas sim como um complemento para divulgação da petição.

Assinaturas são consideradas válidas após sua devida

Você deseja continuar a assinatura sem preencher um comentário?
Parabéns! Você se tornou signatário deste abaixo-assinado.

Últimas assinaturas

  • Deise Rheinheimer assinou o abaixo-assinado #1565
  • Jônatas Wilde assinou o abaixo-assinado #1565
  • Débora Prass da Silva assinou o abaixo-assinado #1565
  • Sheila Aparecida Vust assinou o abaixo-assinado #1565
  • Bruno Harff assinou o abaixo-assinado #1565
  • Alexandro Eloi assinou o abaixo-assinado #1565
  • Camila Ribeiro Jacob assinou o abaixo-assinado #1564
  • Franciéli Macedo Rodrigues assinou o abaixo-assinado #1565